EUA ampliam nível de alerta contra terrorismo

O secretário de Segurança Interna dosEstados Unidos, Tom Ridge, recomendou hoje ao presidente George W. Bush que amplie o nível de alerta depoisde afirmar ter fortes indícios de que a rede extremista Al-Qaeda, de Osama bin Laden, planeja uma nova onda de ataques com aviõesdurante os feriados de fim de ano. Segundo analistas, com a medida, Bush acabou fazendo o jogo deseu principal rival democrata na corrida presidencial do ano quevem, Howard Dean. O ex-governador de Vermont tem sustentado quea prisão de Saddam Hussein no dia 13 não significa que os EUAestejam mais seguros. Como conseqüência do aumento do nível de advertência,governadores de Estado adotaram medidas extraordinárias parareforçar a segurança em pontos sensíveis como aeroportos,terminais rodoviários, estações de trem, instalações defornecimento de água e energia elétrica e shopping centers. Na estação ferroviária de Penn Station, em Nova York, opoliciamento foi reforçado, assim como em pontes e túneis deManhattan e outros distritos da cidade. Tropas da GuardaNacional e da força policial estadual de Nova York foramconvocadas para intensificar o patrulhamento de "pontos críticosda infra-estrutura" por ordem do governador George Pataki.Apesar do alertade terror, os nova-iorquinos mantiveram hoje sua frenéticarotina em meio à temporada de compras de Natal, numa mostra deque a advertência causou mais incômodo do que pânico entre osamericanos. Muitos habitantes de Nova York e de outras cidades lembraramque, desde 11 de setembro de 2001, o alerta de terror já foielevado para o nível laranja quatro vezes, sem que nenhumincidente grave tivesse ocorrido nesses períodos. A advertência americana pôs em alerta também outros países domundo. Na Austrália, o governo recomendou a seus cidadãos queredobrem a atenção se tiverem de viajar para os Estados Unidosou a Grã-Bretanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.