EUA anunciam morte de 25 militantes de Sadr em Bagdá

Forças dos Estados Unidos mataram 25militantes nos últimos dois dias na favela de Sadr City emBagdá, reduto do clérigo xiita Moqtada al-Sadr, disse oExército norte-americano nesta sexta-feira. Os soldados foram mortos em diversos conflitos na quinta ena sexta-feira, disse o Exército em uma série de comunicados.Ataques aéreos e tanques foram usados para atacar homens demilícias que tentavam lançar bombas a partir do bairro ouatirar contra tropas dos Estados Unidos em patrulha. Hospitais de Sadr City informaram que receberam quatrocorpos e 51 pessoas feridas até a manhã de sexta-feira, mas nãoforneceram mais números depois disso. Entre os feridos estavamcrianças. Em uma operação, forças especiais norte-americanas mataram11 combatentes do grupos especiais -- termo usado pelosmilitares para os grupos armados xiitas que teriam recebidoarmas e treinamento do Irã -- depois que eles atacaram umapatrulha conjunta de soldados iraquianos e norte-americanos. Desde que o primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki,ordenou uma repressão às milícias no fim de março Bagdá sofreucom mais conflitos. Centenas de pessoas foram mortas nos conflitos, o quemostra que não há sinais de tranquilidade. Funcionários deauxílio e assistência alertaram para o crescimento de uma crisehumanitária em Sadr City, onde vivem 2 milhões de pessoas. Maliki, xiita, disse que a repressão quer desarmar milíciasmas os seguidores de Sadr vêem como uma tentativa do governoapoiado pelos Estados Unidos de enfraquecer o movimento demassa do clérigo antes das eleições nacionais de outubro. (Reportagem de Tim Cocks)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.