EUA anunciam novas sanções contra a Rússia

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou novas sanções contra a Rússia. Entre os alvos, está o maior banco do país, Sberbank, e cinco empresas de tecnologia do setor de defesa. Na lista, também encontram-se cinco grandes companhias ligadas à exploração ou produção de petróleo: a Gazprom, a Gazprom Neft, a Lukoil, a Surgutneftegas e a Rosneft

LUCAS HIRATA, Estadão Conteúdo

12 de setembro de 2014 | 12h09

Os esforços dos EUA aumentam a pressão sobre a Rússia em meio a um cessar-fogo na Ucrânia. "Dada a intervenção militar direta da Rússia e os esforços evidentes para desestabilizar a Ucrânia, aprofundamos nossas sanções contra a Rússia hoje", disse o secretário do Tesouro, Jacob Lew. Mas ele também observou que as penalidades poderão ser suspensas, se houver uma solução duradoura para o conflito.

De acordo com o Departamento do Tesouro, pessoas que estão operando sob o setor defesa da Rússia e áreas relacionadas podem ser alvo de sanções. O Tesouro impôs medidas que proíbem transações por indivíduos dos Estados Unidos ou dentro do território norte-americano envolvendo dívida nova superior a 30 dias de vencimento emitida pelo Rostec, um grande conglomerado russo que opera no setor da defesa. No caso do Sberbank, o financiamento de dívida nova emitida pelo banco foi reduzida para um vencimento de 30 dias, de 90 dias anteriormente. Entre os bancos sob este limite estão o Bank of Moscow, Gazprombank OAO, Russian Agricultural Bank, VEB e VTB Bank.

Para as empresa de tecnologia do setor de defesa, os ativos serão bloqueados. O Tesouro também impôs sanções que proíbem a exportação de bens, serviços ou tecnologia de apoio à exploração ou produção de petróleo em águas profundas da Rússia, no Ártico ou projetos de xisto para cinco empresas de energia da Rússia (a Gazprom, a Gazprom Neft, a Lukoil, a Surgutneftegas e a Rosneft). As medidas punitivas também proíbem transações em prestação de financiamento ou outras negociações em nova dívida de mais de 90 dias de vencimento emitida por duas empresas de energia russas, a Gazprom Neft e a Transneft.

Mais conteúdo sobre:
EUARússianovas sanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.