EFE/Yury Senatorov
EFE/Yury Senatorov

EUA anunciam novas sanções contra Rússia por caso Skripal

Em 2018, Londres acusou Moscou de ser responsável pela tentativa de envenenamento do ex-agente russo

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2019 | 02h18

SYDNEY - O governo dos Estados Unidos anunciou neste sábado, 3, novas sanções à Rússia pelo ataque com um agente químico contra o ex-espião Sergei Skripal, em 2018, informou a porta-voz do departamento americano de Estado, Morgan Ortagus.  

Com essas sanções, Washington fará oposição a qualquer ajuda à Rússia "por parte de instituições financeiras internacionais", limitando o acesso dos bancos americanos à dívida soberana russa e restringindo as exportações de bens e tecnologia, destacou Morgan.

As medidas - adotadas ao abrigo de uma lei americana de 1991 relativa à eliminação de armas químicas e biológicas - entrarão em vigor em 19 de agosto, após uma notificação do Congresso americano. A lei determina que as sanções somente poderão ser suspensas caso a Rússia ofereça garantias de que "não utilizará armas químicas no futuro" e se submeta ao controle de inspetores internacionais.

Em 2018, o ex-agente russo e sua filha foram encontrados inconscientes na cidade de Salisbury, no sul da Inglaterra, e foram imediatamente hospitalizados em estado grave. Londres acusou Moscou de ser responsável pela tentativa de envenenamento de Skripal com um poderoso agente neurológico - Novitchok - como represália por sua colaboração com os serviços britânicos de inteligência. O caso provocou uma crise diplomática que levou à expulsão de mais de 300 diplomatas, russos e ocidentais. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.