EUA anunciam prisão de envolvidos em "Terror Branco"

O secretário da Justiça dos EUA, John Ashcroft, anunciou nesta quarta-feira a prisão de quatro indivíduos envolvidos em troca de drogas por armas para os grupos paramilitares colombianos, numa operação com valor calculado em US$ 25 milhões, denominada "Operação Terror Branco". Três deles, identificados pelas autoridades como colombianos, encontram-se aparentemente em San José, na Costa Rica, à espera de extradição. Agentes federais que participaram da operação filmaram secretamente reuniões em Londres, nas Ilhas Virgens e no Panamá, nas quais os implicados supostamente discutiam detalhes da transação em favor das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), grupo paramilitar de direita que atua no país.As autoridades acreditam que os suspeitos iriam entregar US$ 25 milhões em cocaína e dinheiro em troca das armas, que incluíam 9.000 fuzis AK-47; lançadores portáteis de mísseis; lança-granadas e quase 300.000 granadas; 300 revólveres; e 53 milhões de munições. Asa Hutchinson, diretor da DEA, a agência antidrogas dos EUA, disse que entre os suspeitos havia dois colombianos: Carlos López e um indivíduo identificado apenas como Comandante Emilio. Junto com eles, foram detidos Uwe Jensen, de 66 anos, e Carlos Ali Romero Varela, de 43, ambos residentes em Houston, no Texas.López, o comandante Emilio e Romero Varela se encontrariam detidos em San José. Segundo o ministro de Segurança costarriquenho, Rogelio Ramos, Carlos Ali Varela também é um cidadão colombiano com passaporte da Venezuela, que servia de intermediário entre compradores e vendedores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.