EUA anunciam saída de região de cultivo de coca na Bolívia

O governo americano anunciou a retirada da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID, sigla em inglês) de uma região a 150 quilômetros ao norte de La Paz, após a tomada recente de uma instalação privada que apóia a substituição dos cultivos de coca. "A tomada da empresa privada obriga os Estados Unidos a deixarem o povoado de Caranaví e retirar uma cooperação de quatro milhões de dólares à região", anunciou o embaixador americano David Greenlee. "Se há instalações privadas nos locais que apoiamos, não há garantias; respaldo jurídico nem segurança física", disse. O embaixador explicou também que a ajuda financeira será transferida a outros povoados da região. Camponeses, que perderam controle e influência em organizações da região, tomaram à força um centro de saúde e uma rádio comunitária financiadas pela USAID, em março. A ministra da Justiça da Bolívia, Casimira Rodríguez, assegurou que "a Bolívia respeita a segurança jurídica", mas disse desconhecer as circunstâncias das instalações privadas na região em questão. Ajuda americana Os Estados Unidos reduziram a 80 milhões de dólares sua ajuda a Bolívia este ano. Grande parte deste dinheiro está destinado aos programas de erradicação de coca, cujas plantações alcançam a 26.700 hectares - destes, apenas 12.000 são legais. É a primeira vez que a USAID anuncia a saída de uma região da Bolívia. A agência pede também mais transparência ao programa boliviano de luta contra o cultivo de coca ilegal. O governo boliviano disse que a erradicação será voluntária e que não forçará os camponeses a destruir suas plantações.

Agencia Estado,

21 Abril 2006 | 18h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.