EUA anunciam sucesso de megaoperação contra cartel

Investigação da DEA em três Estados é duro golpe contra bando mexicano

EFE, O Estadao de S.Paulo

26 de fevereiro de 2009 | 00h00

Forças de segurança dos EUA prenderam ontem 52 pessoas, de diversas nacionalidades, em três Estados americanos, como parte de uma grande ofensiva contra o poderoso cartel mexicano de Sinaloa. Segundo o secretário de Justiça americano, Eric Holder, as prisões são parte da operação "XCellerator", na qual foram detidos 755 suspeitos de narcotráfico e apreendidas 23 toneladas de droga - cocaína, maconha, ecstasy e metanfetaminas - nos últimos 21 meses. Também foram confiscados US$ 59,1 milhões em dinheiro, 149 veículos, 3 jatinhos, 3 barcos e 169 armas."A XCellerator é um exemplo extraordinário do nível de cooperação com nossos sócios internacionais",disse Michelle Leonhart, diretora interina da DEA, agência antidrogas dos EUA. Os suspeitos foram presos na Califórnia, em Maryland e em Minnesota. Além de contrabando de drogas, eles são acusados de crimes como lavagem de dinheiro e posse ilegal de armas. A Justiça americana acusa o cartel de Sinaloa de enviar aos EUA toneladas de entorpecentes, que são distribuídos por células locais para diversos Estados e o Canadá.Nos últimos meses, alguns centros de estudos e órgãos ligados às forças de segurança americanas têm se mostrado preocupados com as repercussões em território americano do avanço da violência e do narcotráfico no México. Em janeiro, um relatório do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA chegou a recomendar que México fosse monitorado juntamente com o Paquistão como um "Estado fraco e à beira do colapso". Pouco antes, o ex- chefe da CIA (a agência de inteligência americana) Michael Hayden também havia defendido que o país vizinho poderia se tornar, no curto prazo, uma ameaça à segurança dos EUA. Em 2006 , o presidente mexicano, Felipe Calderón, deu início a uma pesada ofensiva contra os cartéis enviando mais de 30 mil soldados e policiais para Estados em que a situação é crítica. Mas, nos últimos meses, o aumento da violência nessas regiões está colocando em xeque a eficiência dessa operação. Só em 2008, o número de mortes relacionadas ao narcotráfico no México chegou a 5.400 - entre ajustes de contas e confrontos entre traficantes e a polícia. O aumento em relação a 2007 foi de 50%. RESULTADOS21 meses foi a duração da operação755 suspeitos foram detidos pela polícia23 toneladas de drogas foram apreendidasUS$ 59 milhões foram confiscados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.