EUA apóiam operações de grupos guerrilheiros no Irã, diz ABC

As autoridades dos Estados Unidos apóiam e assessoram um grupo tribal paquistanês que realiza operações guerrilheiras em território iraniano desde 2005, informou na terça-feira, 3, a rede de televisão americana ABC News.O grupo, chamado Jundullah, opera da província paquistanesa do Baluchistão, na fronteira com o Irã.A rede de televisão, que citou fontes de inteligência paquistanesas e americanas, informou que o grupo atribuiu para si a morte e o seqüestro de mais de uma dezena de soldados e funcionários iranianos.A rede disse ainda que os EUA não fornecem fundos para essas operações, já que isso requereria uma ordem presidencial e a supervisão do Congresso dos Estados Unidos.O canal disse ainda que, segundo fontes tribais, os fundos para o grupo são canalizados através de exilados iranianos e recebidos por seu líder, identificado como ABD El Malik Regin, que afirma ter executado vários iranianos.Regin "é parte narcotraficante, parte taleban e parte ativista sunita", afirmou Alexis Debat, especialista em antiterrorismo do Centro Nixon de estudos, em declarações ao canal.Segundo ele, o líder tem uma força de centenas de guerrilheiros, que cometem os ataques na fronteira.O canal disse ainda que, recentemente, o Jundullah reivindicou a autoria de um ataque realizado em fevereiro, que teria terminado com a morte de pelo menos 11 membros da Guarda Revolucionária do Irã.Segundo o relatório da ABC News, a televisão estatal iraniana transmitiu o que qualificou como confissões dos responsáveis do ataque.Eles teriam confessado ser membros do grupo e ter recebido treinamento num local secreto no Paquistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.