EUA armam curdos em Kobani contra Estado Islâmico

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, confirmou nesta segunda-feira que o país entregou armas e munição aos curdos que enfrentam o grupo Estado Islâmico na cidade síria de Kobani. Os equipamentos foram lançados aos militantes de aviões americanos utilizados pela coalizão aliada em bombardeios contra os extremistas.

Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2014 | 10h02

Em discurso em Jacarta, na Indonésia, Kerry afirmou que seria "irresponsável" e "moralmente muito difícil" não apoiar os curdos no combate em Kobani. O apoio norte-americano é complicado sobretudo por questões diplomáticas, já que os curdos em questão são ligados ao PKK, um partido separatista da Turquia.

Kerry disse entender os motivos que levam à Turquia se opor ao apoio dos Estados Unidos aos rebeldes, mas diz que o países tomaram "um esforço de coalizão para desintegrar e destruir o Estado Islâmico, e o grupo está presente em grande número nesse lugar chamado Kobani".

Segundo ativistas consultados pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos, baseado em Londres, os aliados lançaram "uma grande quantidade de armas e munição" para os militantes curdos na madrugada desta segunda-feira. A coalizão liderada pelos EUA também realizou cinco ataques aéreos na região de Kobani.

O secretário de Estado afirmou ainda que os Estados Unidos pediram permissão à Turquia para que combatentes curdos do Iraque entrem em Kobani pelo país para ajudar no combate aos extremistas. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.