EUA: ataque em Benghazi foi ato terrorista, diz governo

O ataque contra o Consulado dos Estados Unidos em Benghazi, no leste da Líbia, foi um ato "terrorista" disse nesta quinta-feira o diretor do Centro Nacional Antiterrorismo (Nctc, pela sigla em inglês), Matthew Olsen. Em depoimento a uma comissão do Senado americano, Olsen disse que "quatro cidadãos norte-americanos foram assassinados no decorrer de um ataque terrorista contra" o consulado. Segundo ele, o ataque foi um "atentado feito de maneira oportunista". O Nctc é o órgão governamental dos EUA, formado em parte por especialistas da Agência Central de Inteligência (CIA, pela sigla em inglês), pelo FBI, polícia federal americana, e pelo Pentágono, que combate o terrorismo.

AE, Agência Estado

20 de setembro de 2012 | 20h13

Até agora, o governo dos EUA declarava que o ataque ao consulado de Benghazi, na noite de 11 de setembro e no qual foram mortos quatro diplomatas, entre eles o embaixador dos EUA na Líbia, Christopher Stevens, havia sido um ato descontrolado em protesto contra o filme "A Inocência dos Muçulmanos".

As informações são da Agência Ansa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.