EUA: Atirador mata pelo menos 27 em escola primária

NEWTOWN - Um atirador de 24 anos, Ryan Lanza, invadiu uma escola primária na manhã desta sexta-feira na pequena cidade de Newtown, no Estado de Connecticut (região da Nova Inglaterra, EUA), e matou pelo menos 27 pessoas, das quais 18 eram crianças pequenas. Foi a pior matança ocorrida em uma escola nos Estados Unidos, superando em número de vítimas a chacina de Columbine, que aconteceu em 1999. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que as matanças estão se repetindo nas escolas norte-americanas e que são necessárias ações para evitar que massacres ocorram no futuro.

AE, Agência Estado

14 de dezembro de 2012 | 19h09

"Nossos corações estão despedaçados hoje", disse Obama, visivelmente emocionado. "Como país, estamos vendo esses eventos trágicos se repetirem cada vez mais. Seja em uma escola primária em Newtown, em um shopping center no Oregon, em um templo no Wisconsin, ou em um cinema em Aurora - esses lugares são bairros da América, e essas crianças são nossas. Precisamos nos juntar e tomar ações significativas para evitar outras tragédias como essa", disse Obama. "Espero que Deus abençoe a memória das vítimas e, nas palavras da Escritura, cure as feridas", disse Obama.

Pouco antes do discurso, Obama decretou luto nacional e ordenou que as bandeiras norte-americanas permaneçam hasteadas a meio mastro até a próxima terça-feira.

Um policial de Newtown disse que o irmão mais novo de Ryan Lanza está sendo interrogado como suspeito de participar da chacina. O policial disse que a mãe de Ryan Lanza, Nancy Lanza, trabalhava como professora na escola. Ele também disse que a namorada de Ryan Lança e outro amigo estão desaparecidos no Estado de Nova Jersey. Não está claro se os dois teriam alguma conexão com a matança ou se foram vítimas de Ryan. Segundo um policial, que falou sob anonimato, Nancy Lanza aparentemente foi morta pelo filho. Já Ryan Lanza teria se suicidado após chacinar as crianças, a mãe e as professoras.

A polícia estadual de Connecticut disse que apenas estudantes, professores e funcionários da escola primária Sandy Hook foram chacinados, mas não quis dizer quantas pessoas, no total, foram mortas e feridas. No massacre de Columbine, em 1999, 15 pessoas foram mortas em uma escola, por dois atiradores. Na matança da universidade Virginia Tech, em 2007, foram mortas 32 pessoas.

Mas dessa vez, em Newtown, a maioria das vítimas eram crianças pequenas, com idades entre 5 e 10 anos. Pais angustiados ficaram aglomerados na frente da escola, enquanto esperavam em agonia para ter notícias sobre os filhos. Aparentemente, Lanza usou duas armas para realizar a matança: uma pistola automática e um rifle de assalto de calibre 223, uma arma de combate normalmente usada por soldados.

Robert Licata disse que seu filho de seis anos estava na sala de aula quando Ryan Lanza entrou atirando e matou a professora. "Foi quando meu filho pegou as mãos de alguns coleguinhas e levou eles para fora da sala", ele disse. "Ele foi muito corajoso. Ele esperou que seus colegas saíssem", disse. Licata disse que Ryan Lanza matou a professora, não disse nenhuma palavra e depois saiu da sala.

Uma fonte disse que o atirador tinha duas armas automáticas. A matança na escola elementar Sandy Hook em Newtown, uma pequena cidade no interior de Connecticut, 96 quilômetros ao nordeste de Nova York, pode ter sido a pior já desfechada em uma escola norte-americana. No massacre de Columbine, em 20 de abril de 1999, foram mortas 15 pessoas.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.