U.S. Central Command via The New York Times
U.S. Central Command via The New York Times

EUA aumentam foco em contraterrorismo com retirada de Cabul

Funcionários e ex-funcionários do governo americano alertam que será muito mais difícil evitar ameaças à segurança do país de fora do território

Rachel Pannett, The Washington Post, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2021 | 15h00

Os Estados Unidos disseram que manteriam "robustas capacidades de contraterrorismo" na Ásia Central depois que seus últimos voos militares deixaram Cabul na noite de segunda-feira, 30.

O Afeganistão está agora sob o controle de militantes do Taleban, que prometeram não deixar o país servir novamente como um terreno fértil para grupos terroristas como a Al-Qaeda e o Estado Islâmico, cujo afiliado local matou 13 militares dos EUA e pelo menos 170 civis de fora aeroporto de Cabul na semana passada.

Há muito ceticismo internacional sobre a disposição - e capacidade - do Taleban de cumprir sua promessa. "Continuaremos vigilantes no monitoramento de ameaças", disse o secretário de Estado Antony Blinken na segunda-feira, 30, acrescentando que os Estados Unidos "neutralizariam essas ameaças, se necessário", como fazem em outros lugares onde não há tropas americanas no solo.

Blinken, principal diplomata dos EUA, disse que o país demonstrou suas habilidades de contraterrorismo nos últimos dias "atacando facilitadores do ISIS-K e ameaças iminentes no Afeganistão". O Comando Central dos EUA disse que um ataque de drones no domingo destruiu um carro-bomba do grupo, que representava uma ameaça "iminente" ao aeroporto de Cabul. Também matou 10 civis - incluindo sete crianças - todos de uma mesma família, segundo o relato de parentes.

Para Entender

Quem é o ISIS-K, braço do Estado Islâmico no Afeganistão

Ameaça para Taleban e EUA, o Estado Islâmico Khorasan foi criado há seis anos por descontentes do Taleban paquistanês, críticos à versão 'insuficientemente dura' do governo islâmico

Funcionários e ex-funcionários do governo americano alertaram que será muito mais difícil evitar ameaças à segurança do país de fora do território. O Afeganistão não tem litoral e está longe de qualquer grande base militar dos EUA, e o funcionamento de drones no vizinho Paquistão ou Usbequistão traz desafios políticos significativos.

Para Entender

O que é o Taleban e como o grupo retomou o poder no Afeganistão

Grupo fundamentalista que busca instaurar uma versão radical da lei islâmica se espalhou por todo o país, invadindo uma cidade após a outra até conquistar Cabul

Alguns militares e oficiais de inteligência também alertaram que o colapso do governo afegão pode significar o ressurgimento da Al-Qaeda. Embora o grupo esteja substancialmente enfraquecido desde 2001, seus combatentes permanecem no Afeganistão. Em abril, a comunidade de inteligência dos EUA disse ao Congresso que a Al-Qaeda "continuará a tramar ataques e buscar explorar conflitos em diferentes regiões".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.