EUA aumentam segurança na fronteira com México

A intensificação de medidas de segurança após os eventos desta terça-feira de manhã causaram um enorme congestionamento na fronteira entre os Estados Unidos e México. As autoridades informaram que estão considerando a possibilidade de fechar toda a fronteira entre os dois países, que se estende por 3.300 km.Todos os principais pontos de cruzamento estavam abertos horas após os ataques, mas a alfândega e outros agentes correram para a fronteira, temendo possíveis novos ataques ao território norte-americano. "Basicamente, todos estão em alerta máximo", disse o porta voz do Serviço de Alfândega de San Diego, David Murphy.Outros agentes afirmaram que a decisão sobre o possível fechamento da fronteira estava em discussão em Washington.Falando de El Paso, no Texas, o agente Roberto Ontiveros disse: "Estamos esperando uma palavra de nossos superiores sobre o que fazer. Estamos em segurança máxima."Na Cidade Juarez, do outro lado da fronteira a partir de El Paso, o tráfego na direção nos Es tados Unidos enfrenta uma espera de cerca de uma hora e meia, já que os agentes estão impondo medidas de checagem mais duras.A intensificação da segurança, com apenas um carro sendo permitido em cada pista por vez, provocou um gigantesco congestionamento no mais movimentado ponto de fronteira, Tijuana.O presidente do México, Vicente Fox, expressou "solidariedade e profundas condolências" aos Estados Unidos e informou que a missão diplomática nos EUA tinha cancelado a celebração do dia da independência mexicana nos próximos dias 15 e 16.Fox disse ainda que seu governo tentaria oferecer toda a assistência necessária aos milhões de mexicanos que vivem nos Estados Unidos. Já que a maioria dos agentes norte-americanos se concentraram nos pontos estratégicos de fronteira, Efrain Maldonado, porta-voz do Departamento de Trânsito do México, disse que outros pontos secundários tinham sido fechados.Funcionários norte-americanos confirmaram apenas que a ponte Paso del Norte, em El Paso, foi fechada por pouco tempo porque os agentes suspeitavam de um caminhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.