EUA aumentam suas forças no norte do Iraque

Aviões de carga já começaram a deixar suprimentos para as forças da coalizão no norte do Iraque, depois que mais de 1.000 soldados americanos saltaram de pára-quedas na região, controlada pelos curdos, e se preparam para abrir um segundo front contra Saddam Hussein. Milicianos curdos e tropas de operações especiais americanas uniram-se aos soldados da 173ª Brigada Aerotransportada, que saltaram de aviões de transporte C-17, na noite de ontem.O desembarque - um dos maiores saltos de tropas de pára-quedistas em décadas - levou os soldados a uma região onde apenas forças especiais dos EUA vinham operando. Ataques aéreos da coalizão vinham visando forças militares iraquianas e outros pontos estratégicos do norte. Mais aviões de carga C-130 trouxeram suprimentos ao campo de pouso dominado pela coalizão, hoje, bem como 200 novos soldados, vindos de bases americanas na Itália.?Estamos apertando o laço ao redor das forças de Saddam?, disse o general James Parker, comandante das forças americanas no norte. Em Bagdá, o ministro da Defesa do Iraque, Sultan Hashem Ahmed, disse que ?o inimigo anglo-americano tenta abrir um front no norte para aliviar a pressão de outros setores?. Ele avisou os curdos para que não se aliem aos americanos. ?Quanto aos irmãos curdos, esperamos que não fiquem ao lado do traidor, para que a História não se lembre deles como traidores?.Para dar cobertura à chegada dos soldados, aviões da coalizão atacaram tropas e casamatas iraquianas na noite de quinta-feira, e retomaram os bombardeios ao amanhecer desta quinta-feira. Uma grande explosão foi ouvida nas proximidades da vila de Kalak, pouco além da fronteira curda. Ainda nesta quinta-feira, tropas curdas em Chamchamal, a 35 km de Kirkuk, tropas curdas tomaram um posto de guarda iraquiano, informam testemunhas. Autoridades militares americanas disseram que gostariam de já ter controle sobre os poços de petróleo ao redor das cidades de Kirkuk e Mosul, e também das próprias cidades. ?Kirkuk é a chave. Os iraquianos querem a cidade, os curdos querem, os turcos querem e vários outros grupos étnicos também?, disse o major Mike Hastings. ?O que esse desembarque significa é que poderemos mantê-la até sermos rendidos por outras forças?.Além de Mosul e Kirkuk, outro alvo importante no norte do Iraque é Tikrit, a cidade natal de Saddam e o núcleo tribal de muito de seu círculo de colaboradores mais próximos.A maior parte da Divisão Adnan da Guarda Republicana foi deslocada de Mosul para Trikrit pouco depois do início da guerra. Outra missão importante dos americanos é garantir a ordem na região, governada por duas facções curdas autônomas, mas que também abriga diversos grupos dissidentes e uma base do grupo terrorista, ligado à Al-Qaeda, Ansar al-Islam. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.