REUTERS/Eduardo Munoz
REUTERS/Eduardo Munoz

EUA aumentam vigilância em aeroportos após ataque na Turquia

Hoje de manhã, uma terminal do aeroporto JFK foi esvaziado brevemente devido à presença de um pacote suspeito, mas depois se comprovou que era um alarme falso

O Estado de S. Paulo

29 Junho 2016 | 17h31

WASHIGTON - O governo dos Estados Unidos decidiu intensificar as inspeções e revistas de passageiros e malas que chegam aos aeroportos do país depois do atentado terrorista no aeroporto internacional de Istambul, na Turquia, informou nesta quarta-feira, 29, um funcionário do Departamento de Segurança Nacional (DHS) à agência EFE.

Esse funcionário, que pediu anonimato, afirmou que "não há nenhuma indicação de uma ameaça específica" ou de "um maior risco" associado com os voos procedentes de Istambul após o ataque, que deixou pelo menos 41 mortos e mais de 200 feridos.

No entanto, ele informou que o Escritório de Alfândegas e Proteção de Fronteira, que é ligado ao Departamento de Segurança Nacional, está "monitorando a situação de perto". "(O Escritório de Alfândegas e Proteção de Fronteira) realizará verificações completas de viajantes, bagagens e sua carga em sua chegada aos aeroportos americanos", afirmou.

Por sua vez, o secretário do Departamento de Segurança Nacional, Jeh Johnson, mantém um "contato próximo" com seus colegas de dentro e fora do país para continuar acompanhando a evolução da situação e se adaptar ao desenvolvimento dos acontecimentos, disse um porta-voz do DHS.

Ao mesmo tempo, em muitos aeroportos do país pode ser verificada uma maior presença policial. Depois do ataque de terça-feira, os dois aeroportos que atendem a capital dos Estados Unidos, o Aeroporto Nacional Ronald Reagan e o Aeroporto Internacional Washington Dulles, afirmaram em comunicado que sua "prioridade número 1" é a segurança de seus passageiros e funcionários.

Por sua vez, as autoridades aeroportuárias de Nova York e New Jersey disponibilizaram patrulhas policiais armadas nos três principais aeroportos da região metropolitana, o John F. Kennedy (JFK), o de LaGuardia, no Queens, e o de Newark, em New Jersey.

Hoje de manhã, uma terminal do aeroporto JFK foi esvaziado brevemente devido à presença de um pacote suspeito, mas depois se comprovou que era um alarme falso.

Como consequência do ataque em Istambul, o aeroporto internacional de Miami também aumentou a presença policial dentro dos terminais. As autoridades do aeroporto internacional de Los Angeles anunciaram que estão "atentas" a possíveis ameaças.

Pelos aeroportos americanos passam cerca de 1,8 milhão de passageiros por dia, segundo cálculos do órgão federal Administração de Segurança no Transporte (TSA, na sigla em inglês). / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.