EUA autorizam sobrevôos de combate às drogas na Colômbia

O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, autorizou a retomada de vôos de vigilância sobre a Colômbia, revertendo uma suspensão de mais de dois anos, decidida depois que um avião com uma missionária americana e sua filha foi abatido por engano, informou um funcionário do governo americano nesta terça-feira.De acordo com a fonte, a Casa Branca deverá anunciar formalmente a retomada dos vôos na quinta-feira, quando o presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, completará um ano no cargo. Uribe defende uma posição rígida contra os traficantes de drogas. "O memorando saiu na noite passada", disse a fonte, referindo-se à recomendação de Powell.O processo de retomada dos sobrevôos foi muito mais demorado do que se esperava. As autoridades americanas aparentemente procuraram adotar diversas medidas com o objetivo de reduzir ao máximo a possibilidade de que incidentes como o de mais de dois anos atrás voltem a acontecer.Na época, os vôos de vigilância eram realizados sobre o Peru e a Colômbia. Eles foram suspensos em abril de 2001, quando um caça peruano, agindo com base em informações fornecidas pelos EUA, abateu o avião, matando a missionária americana Veronica Bowers e sua filha Charity.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.