EUA avaliam mudanças na estratégia para o Iraque, diz secretário de Defesa

O secretário de Defesa norte-americano, Ash Carter, abriu a possibilidade de uma mudança na estratégia da Casa Branca para o Iraque, poucos dias após revezes no Iraque e na Síria reavivarem as críticas à abordagem do governo do presidente Barack Obama para combater extremistas na região.

Estadão Conteúdo

24 de maio de 2015 | 13h20

Na semana passada, as forças do Estado Islâmico capturaram a cidade iraquiana de Ramadi e também expandiram seu controle sobre áreas da Síria. Os críticos e até aliados do governo deram entrevistas neste domingo para pedir uma mudança de estratégia, a fim de conter o avanço do grupo extremista. Houve pedidos pelo envio mais agressivo de armas a tribos sunitas e às forças Peshmarga que se opõem ao Estado Islâmico.

Carter disse, em entrevista à rede CNN veiculada hoje, que se houver a conclusão de que é preciso mudar os tipos de apoio de Washington nesses países, isso será feito.

O governo recuou de suas ambições de curto prazo, ao desistir de uma ofensiva para retomar a cidade iraquiana de Mossul, no norte do país. Também concordou em expandir e apressar o envio de equipamento militar às forças iraquianas e em intensificar o treinamento de combatentes de tribos sunitas.

Comentando a queda de Ramadi, Carter disse que "as forças iraquianas simplesmente não mostraram o desejo de lutar". Segundo ele, as forças do Iraque não eram inferiores em número, pelo contrário, mas ainda assim se retiraram da área. "Nós podemos dá-las treinamento, nós podemos dá-las equipamento. Nós obviamente não podemos dá-las o desejo de lutar." Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraquemilitar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.