EFE/Sergei Chirikov
EFE/Sergei Chirikov

EUA avisam Rússia que ações na Ucrânia impedem melhoria de relações

Em telefonema para o presidente da Ucrânia, secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, informou sobre os resultados de sua visita a Moscou neste mês

O Estado de S.Paulo

24 Abril 2017 | 11h38

WASHINGTON - O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, avisou no domingo à Rússia que seus atos na Ucrânia são um "obstáculo" para uma melhoria de relações entre as duas potências, e pediu ao Kremlin e aos separatistas pró-russos que "respeitem imediatamente" o cessar-fogo.

Tillerson fez estas declarações em um telefonema para o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, ao qual informou sobre os resultados de sua visita a Moscou neste mês.

Ambos falaram sobre a viagem e a mensagem que Tillerson enviou ao Governo russo para fazê-lo entender que, "embora os Estados Unidos estejam interessados em melhorar as relações com a Rússia, as ações do país no leste da Ucrânia continuam sendo um obstáculo", informou em comunicado o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner.

Além disso, Tillerson reiterou "o firme compromisso" dos EUA com a integridade territorial e a soberania da Ucrânia, confirmando que as sanções contra Moscou "continuarão até que a Rússia devolva o controle da Península da Crimeia à Ucrânia e coloque em prática por completo seus compromissos sob os acordos de Minsk".

Os acordos assinados em Minsk, na Bielo-Rússia, em fevereiro de 2015 pretendem pôr fim ao conflito armado entre o Governo de Kiev e os separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, apostando na integridade territorial do país. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.