EUA avisam Turquia sobre novo vazamento do WikiLeaks

Os Estados Unidos estão em contato com a Turquia sobre os arquivos que deverão ser publicados pelo site WikiLeaks, disse hoje um diplomata graduado do governo turco, o qual ressaltou o comprometimento de Ancara na luta contra o terrorismo.

AE, Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 16h21

De acordo com algumas matérias publicadas, o planejado vazamento do WikiLeaks inclui documentos que sugerem que a Turquia ajudou extremistas da Al-Qaeda no Iraque, bem como que os Estados Unidos ajudaram rebeldes separatistas curdos, que lutam contra a Turquia, baseados no Curdistão iraquiano.

A Embaixada dos EUA em Ancara "nos deu informações sobre o assunto, assim como outros países foram informados" pelo Departamento de Estado americano, disse o diplomata, que falou sob anonimato.

"A luta contra o terror é uma prioridade da Turquia. Nós conduzimos uma série de operações contra a Al-Qaeda e o apoio a eles está fora de questão", afirmou. O diplomata também elogiou o apoio americano à guerra que o Estado turco conduz desde 1984 contra os insurgentes separatistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em curdo). Os insurgentes do PKK se refugiam no Curdistão iraquiano, de onde lançam ataques contra soldados em território turco.

Uma funcionária da embaixada americana em Ancara não quis comentar as reportagens e também o suposto iminente vazamento do WikiLeaks, afirmando que tudo é "pura especulação".

O WikiLeaks não disse o que publicará no próximo vazamento, que algumas fontes disseram ocorrerá no final de semana. O site indicou apenas que ele será bem maior que o do Iraque, quando foram postadas 400 mil informações sobre a guerra do Iraque. O Departamento de Estado do governo dos EUA, na quarta-feira, informou que alertou e estava alertando vários países "aliados e amigos" sobre o conteúdo explosivo dos documentos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
WikiLeaksvazamentoEUATurquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.