EUA buscam diminuir tensões no Mar do Sul da China

Enquanto tenta enfrentar múltiplas e simultâneas crises internacionais, o governo dos EUA aumentou neste sábado os esforços para evitar mais um conflito. O secretário de Estado americano, John Kerry, pediu à China e a seus vizinhos menores que tomem medidas para aliviar as tensões relacionadas a disputas em águas asiáticas.

AE, Estadão Conteúdo

09 de agosto de 2014 | 10h32

Atividades recentes de diversos países - principalmente a China - em áreas disputadas elevaram o temor com um possível confronto, o que desestabilizaria a Ásia e o Pacífico, interferindo com o comércio marítimo internacional e prejudicando a economia global.

"Temos que trabalhar juntos para gerenciar as tensões no Mar do Sul da China de forma pacífica e com base na lei internacional", disse Kerry, durante reunião de ministros asiáticos em Mianmar.

Neste sábado, as Filipinas, aliadas dos EUA, apresentam um plano de iniciativa para dar fim a atividades que estejam contribuindo para as tensões. "As tensões no Mar do Sul da China pioraram nos últimos meses e continuam a se deteriorar", afirmou o ministro de Relações Exteriores filipino, Albert del Rosario. "Todos estamos vendo um padrão de comportamento agressivo e ações provocativas no mar, ameaçando a paz, a segurança, a prosperidade e a estabilidade na região."

O plano filipino pede uma rápida conclusão para o adiado código de conduta dos países, entre outros itens. Conforme o esperado, porém, a China reagiu friamente à proposta, dizendo que as tensões estão sendo exageradas. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAChinatensões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.