EUA buscam unidade para impedir teste nuclear norte-coreano

Os Estados Unidos iniciaram uma série de esforços nesta quarta-feira para combater um possível teste nuclear norte-coreano. Diplomatas chave do Estados Unidos, incluindo a secretária, o subsecretário e o secretário assistente de Estado, respectivamente Condoleezza Rice, Nicholas Burns e Chris Hill, contataram parceiros na Ásia e na Europa, segundo o porta-voz do Departamento de Estado Tom Casey.O objetivo é enviar "um sinal forte e unificado de que esses tipos de ameaças certamente não são aceitáveis."No entanto, o Conselho de Segurança, do qual fazem parte China, Rússia, França e Inglaterra, além dos norte-americanos, ainda não chegou a um acordo sobre o modo de agir. "Neste ponto, há divisão", disse o embaixador dos Estados Unidos na ONU John Bolton à agência de notícias AFP. Um oficial da inteligência norte-americana, que preferiu não se identificar, disse que os Estados Unidos estão atentos à movimentação de pessoas, objetos, automóveis e outras atividades ao redor de um possível campo de teste. Mas, de acordo com o oficial, o movimento poderia ser similar à atividade que foi detectada alguns meses atrás. Naquela ocasião, não houve testes.Perguntado se a Coréia do Norte poderia estar se preparando para realizar um teste, Casey afirmou que os Estados Unidos observavam "todos os tipos de informação" em relação ao país asiático, mas se recusou a dar detalhes. Casey também rejeitou a idéia de que a ameaça coreana poderia complicar os esforços norte-americanos em outras partes do mundo, como o Irã. Na terça-feira, a Coréia do Norte provocou uma alarme global com o anúncio de que fará um teste nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.