EUA, Canadá e México se unem para enfrentar ataque bacteriológico

Estados Unidos, Canadá e México decidiram unir forças para enfrentar um eventual ataque bacteriológico, que poderia ocorrer em represália pela ofensiva aliada contra o milionário saudita Osama bin Laden, acusado pelos ataques terroristas ocorrido há um mês em Nova York e Washington. O ministro da Saúde do México, Julio Frenk, indicou que os três países - que mantêm um Acordo de Livre Comércio -, decidiram ampliar os laços no campo da segurança sanitária para ficar bem preparados na eventualidade de um ataque biológico. Frenk disse que já foram mantidos os primeiros contatos sobre o assunto entre os ministros da Saúde dos três países, assim como com o da Grã-Bretanha. "Concordamos em fortalecer nossa colaboração para estar melhor preparados frente a uma situação de ataque", declarou. Por enquanto não se conhecem os detalhes do plano de segurança. Mesmo assim, fala-se em reforçar os controles médicos e sanitários nas fronteiras dos três países. "Nesses momentos, contamos com um bom sistema de monitoramento epidemiológico, no qual temos tido uma ampla colaboração dos Estados Unidos, mas teremos que redobrar nossos esforços, porque reconhecemos que precisamos melhorar muito mais", indicou Frenk. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.