EUA cancelam exercício militar na Tailândia após golpe

O Pentágono, dos EUA, reduziu parte da parceria militar com a Tailândia em resposta ao golpe de Estado desta semana, ao cancelar um grande exercício militar no país asiático.

AE, Agência Estado

24 Maio 2014 | 15h53

Mas os EUA não declararam um congelamento total nas relações militares, refletindo a relutância do Pentágono em prejudicar os laços de longa data com um estratégico aliado asiático.

O porta-voz do Pentágono, o almirante John Kirby, disse que os EUA cancelaram um exercício militar contínuo com a Tailândia, chamado de Exercício de Cooperação de Prontidão e Treinamento.

Além disso, o Pentágono cancelou uma visita agendada para junho à Tailândia do comandante da Frota do Pacífico dos EUA, o almirante Harry Harris, e um convite para que o comandante geral das Forças Armadas Reais Tailandesas visitasse o Comando dos EUA no Pacífico em junho.

"Como deixamos claro, é importante que as Forças Armadas Reais tailandesas terminem este golpe e restaurem ao povo de Tailândia tanto os princípios como os processos do regime democrático, incluindo um caminho claro para eleições", disse o almirante Kirby .

A lei dos EUA exige que o Pentágono suspenda parte da assistência militar do país e outros compromissos em resposta a um golpe de Estado. "Nós vamos continuar a rever compromissos adicionais, conforme necessário", disse o almirante Kirby.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Tailândia EUA golpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.