EUA cancelam passaporte de ex-funcionário, diz fonte

Edward Snowden, ex-funcionário terceirizado da Agência Nacional de Segurança dos EUA, teve seu passaporte cancelado, segundo uma autoridade do governo norte-americano. Snowden, que revelou a existência de programas secretos de vigilância mantidos pela administração do presidente Barack Obama, pediu asilo ao Equador, de acordo com o Ministério de Relações Exteriores do país e o grupo WikiLeaks.

Agência Estado

23 Junho 2013 | 17h09

Segundo o funcionário do governo, que pediu para não ser identificado, o passaporte foi cancelado antes de Snowden deixar Hong Kong com destino à Rússia. Ele disse, no entanto, que isso não é necessariamente um impedimento para que Snowden leve adiante seu plano. Ele deixou Hong Kong e chegou neste domingo a Moscou, depois que os EUA emitiram um pedido por sua extradição.

No ano passado, o Equador concedeu asilo político ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, que desde então está vivendo na embaixada do país em Londres para não ser extraditado para a Suécia, onde enfrenta acusações de crimes sexuais.

Assange nega as acusações e diz temer que a Suécia o envie para os EUA, que vem investigando o papel do WikiLeaks na divulgação de milhares de documentos do governo norte-americano vazados pelo soldado do exército Bradley Manning.

Apesar de os EUA não terem acusado Assange formalmente por algum crime ou pedido sua extradição, o Equador concedeu asilo ao fundador do WikiLeaks, alegando que essa era uma forma de protegê-lo contra perseguição política nos EUA. O Reino Unido não permitiu que Assange viajasse ao Equador, o que resultou no impasse que já dura um ano.

O WikiLeaks informou que Snowden está sendo acompanhado por diplomatas e consultores legais ligados ao grupo. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
EUAvigilânciaSnowdenpassaporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.