EUA capturam três supostos membros da Al-Qaeda

Soldados norte-americanas capturaram três supostos membros da rede terrorista Al-Qaeda na área de Khost, ao leste do Afeganistão, durante o final de semana, informou hoje o porta-voz militar dos EUA, coronel Roger King. De acordo com ele, os três foram levados a Bagram, onde está localizado o quartel-general dos EUA no Afeganistão, para interrogatórios. King não forneceu detalhes sobre o motivo que levou os militares a acreditar que os suspeitos faziam parte de Al-Qaeda. Na mesma operação em Khost, os militares encontraram explosivos, granadas e munições. Outro grupo de soldados descobriu 50 granadas durante uma busca próxima a Malasksay, no sudeste da Província de Paktika. "Não houve registros de conflitos, casualidades ou qualquer forma de tomada de controle", afirmou King. Autoridades do leste afegão também detiveram um iemenita que admitiu ser membro da Al-Qaeda e encontraram três mísseis antitanque russos escondidos em Jalalabad. Segundo o inspetor-geral da polícia da Província de Nangarhar, Haji Ajab Shah, o iemenita, cuja identidade não foi fornecida, foi encontrado "nos últimos dias" no distrito de Karghim, na Província de Lagman, depois que residentes locais alertaram as autoridades. Em Washington, o Pentágono informou hoje que um soldado norte-americano morreu em conseqüência dos ferimentos recebidos há duas semanas durante uma operação de busca a terroristas da Al-Qaeda e do Taleban no Afeganistão. O sargento Christopher James Speer, de 28, residente de Albuquerque, Novo México, estava entre os cinco soldados norte-americanos feridos em uma emboscada realizada na área de Khost em 27 de julho. Segundo o Pentágono, Speer, que fora removido para um centro médico militar em uma base norte-americana na Alemanha, morreu na última quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.