EUA cercam aldeia iraquiana com arame farpado

No norte do Iraque, forças dos EUA fecharam com arame farpado a vila onde Saddam nasceu e começaram a emitir carteiras de identidade para os moradores. A vila de Uja foi cercada com arame e postos militares foram montados nos acessos. Todos os adultos receberam ordens de se registrar e obter documentos de identidade. ?Isto é um esforço para proteger a população, a maioria das pessoas que quer seguir com a vida?, disse o tenente-coronel Steve Russell. A vila é o lar das famílias de muitas ex-autoridades da ditadura de Saddam.Num subúrbio de Bagdá, tropas dos Estados Unidos entraram em combate com uma multidão que carregava uma imagem de Saddam Hussein. Há versões conflitantes sobre as causas do embate no subúrbio de Abu Ghraib, a oeste da capital. Os iraquianos dizem que o conflito teve início quando tropas dos EUA tentaram retirar as barracas de camelô de uma rua principal. Mas o tenente Joseph Harrison disse que a confusão começou com uma granada arremessada contra os soldados.Jovens começaram a jogar pedras nos soldados e a polícia iraquiana incendiou pneus. Manifestantes com uma foto de Saddam gritavam ?Deus é grande?. Depois de três horas de relativa calma, tiros foram ouvidos novamente, quando helicópteros americanos sobrevoaram a área e blindados entraram na região. Houve fogo de metralhadora e explosões.Em Faluja, um centro de resistência à ocupação, uma forte explosão abalou o centro da cidade. Fumaça negra emergiu do gabinete do prefeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.