EUA chega à China para inspecionar avião

Técnicos americanos desembarcaram hoje na ilha sulista chinesa de Hainan a fim de tentar restaurar um avião espião da Marinha dos Estados Unidos avariado numa colisão com um caça da China.A equipe da Lockheed Martin, o principal fabricante do avião espião EP-3E, irá inspecionar o aparelho nesta quarta-feira, informou o porta-voz do Pentágono, tenente-comandante da Marinha Terry Sutherland.Acredita-se que o avião ainda esteja na base aérea de Lingshui em Hainan, onde ele fez um pouso de emergência em 1º de abril, depois da colisão sobre o mar do Sul da China.A colisão provocou um tenso impasse de 11 dias entre Pequim e Washington sobre o retorno dos 24 tripulantes americanos do avião espião. A confrontação levou as relações sino-americanas ao seu ponto mais baixo desde que os Estados Unidos bombardearam acidentalmente a embaixada chinesa na Iugoslávia há dois anos.A equipe de técnicos terá de resolver como levar o avião de alta tecnologia de US$ 80 milhões de volta para os Estados Unidos - se ele pode ser reparado e voar novamente ou se terá de ser colocado em partes num navio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.