REUTERS/Andrew Kelly
REUTERS/Andrew Kelly

EUA chegam a 2 milhões de casos confirmados de coronavírus

Em números absolutos, país é o mais atingido no mundo pela pandemia, com quase 113 mil mortes por covid-19

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2020 | 11h55

Os casos confirmados de covid-19 nos Estados Unidos chegaram a 2 milhões, de acordo com dados da universidade Johns Hopkins divulgados na madrugada desta quinta-feira (11). A marca foi atingida em um momento em que as pessoas voltaram às ruas em protestos contra o racismo e a violência policial nas maiores cidades do país.

O número representa um quarto de todas as infecções identificadas oficialmente no mundo, onde os casos confirmados já superam os 7,3 milhões. Além disso, o país norte-americano já acumula quase 113 mil óbitos desde o início da pandemia.

Pelo menos 9 Estados e Porto Rico vêm registrando suas maiores médias de novos casos desde o início da pandemia, tendo o número de internações disparado desde o feriado do Memorial Day no país, em 25 de maio.

Texas, Carolina do Norte e do Sul, Califórnia, Oregon, Arkansas, Mississippi, Utah e Arizona observam números crescentes de pacientes sob cuidados supervisionados desde o fim de semana do feriado, por causa de infecções por covid-19. Os picos, em geral, começaram nas últimas duas semanas e, na maioria dos Estados, estão em alta.

Os EUA, país que detém a terceira maior população mundial, têm duas vezes mais casos que o Reino Unido, a Itália, a Espanha e a França, quatro dos países europeus que mais tiveram registros da doença.

Se em números absolutos o país é disparadamente o mais afetado do mundo, proporcionalmente os EUA perdem a liderança, mas seguem entre os primeiros do ranking. Quando feita a proporção de casos por 100 mil habitantes, os EUA ocupam o terceiro lugar, com 603,1 casos por 100 mil. A frente dos EUA estão o Chile (762,2 casos por 100 mil) e Peru (636,9 casos por 100 mil)./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.