EUA combatem 50 rebeldes em operação no Afeganistão

Segundo exército, 13 insurgentes foram detidos e armamento foi apreendido; operação deixou mortos

Efe e Associated Press,

29 de outubro de 2007 | 06h00

Forças da coalizão militar liderada pelos Estados Unidos lançaram neste domingo, 28, uma operação contra supostos combatentes da rede Al-Qaeda no leste do Afeganistão. Segundo o comando americano, pelo menos 50 supostos insurgentes ficaram mortos ou feridos e 13 foram detidos.  Em comunicado, o Exército dos EUA informa que a ofensiva aconteceu na província oriental de Kunar, fronteiriça com o Paquistão, e teve como alvo "combatentes estrangeiros da Al-Qaeda e as redes de abastecimento de armamento na região".   Durante a operação foi detectado um recinto no distrito de Asadabad no qual, segundo "relatórios da Inteligência", operavam colaboradores da Al-Qaeda, indicou o comando americano.   A descoberta levou a um enfrentamento entre as tropas sob comando dos EUA e um grupo de militantes que se encontravam no recinto. Os combates terminaram com a morte de "vários militantes armados", segundo o comunicado.   Após o combate os soldados revistaram o local e apreenderam várias armas que foram destruídas, enquanto detiveram "cinco supostos militantes" que serão interrogados para determinar seu papel na rede de fornecimento de armamento, acrescenta a nota.   As Nações Unidas denunciaram nesta segunda que 34 voluntários foram mortos no país neste ano por militantes do Taleban e gangues que atacaram comboios humanitários e interromperam a entrega de alimentos para milhões de afegãos.   Washington mantém cerca de 27.000 militares no Afeganistão, dos quais 15.000 estão sob comando da Otan e 12.000 sob comando direto do Governo americano. Neste ano morreram cerca de 5.000 pessoas por causa da violência no país centro-asiático.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.