EUA condenam ataque a hotel internacional em Cabul

Os Estados Unidos emitiram ontem uma forte condenação ao atentado suicida que matou pelo menos dez pessoas no Hotel Intercontinental, em Cabul, e cuja responsabilidade foi assumida pelo Taleban. O local é frequentado por estrangeiros e autoridades locais. Tratou-se do primeiro ataque terrorista do grupo desde o anúncio da retirada de soldados americanos do Afeganistão, na semana passada.

AE, Agência Estado

29 de junho de 2011 | 08h00

Autoridades americanas analisavam ontem a possibilidade de o ataque do Taleban ter tido como alvo o embaixador especial americano para o Afeganistão e o Paquistão, Marc Grossman, que dera uma entrevista à imprensa poucas horas antes no mesmo hotel.

O atentado ocorreu sete dias depois do anúncio do presidente dos EUA, Barack Obama, de seu plano de retirada de 33 mil soldados americanos do Afeganistão até setembro de 2012 - os 68 mil restantes deverão deixar o território afegão até o final de 2014.

O primeiro comunicado do governo americano sobre o episódio foi divulgado pelo Departamento de Estado. Naquele momento, na Casa Branca, o presidente americano, Barack Obama, recebia informações de sua equipe de Segurança Nacional sobre o ataque, ocorrido durante seu voo do Estado de Iowa a Washington.

"Os EUA condenam fortemente o ataque ao Hotel Intercontinental, em Cabul, que demonstrou de novo o completo desrespeito dos terroristas à vida humana", afirmou o Departamento de Estado. "Nós estendemos nossas condolências às famílias e amigos das vítimas do ataque." Nos últimos dias, autoridades americanas e afegãs informaram que os dois países estavam negociando o fim do conflito com membros do Taleban. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoatentadosTalebanEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.