EUA condenam 'fortemente' assassinato de japonês pelo EI, diz Obama

Suposta execução foi revelada em um áudio, neste sábado; sua autenticidade ainda não foi confirmada de forma independente

O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2015 | 18h52

AIR FORCE ONE - O presidente dos EUA, Barack Obama, condenou fortemente neste sábado, 24, o suposto assassinato de um refém japonês pelo grupo radical Estado Islâmico (EI). A execução, porém, ainda não foi confirmada de forma independente. 

"Os EUA condenam fortemente o brutal assassinato do cidadão japonês Haruna Yukawa por esse grupo terrorista", disse o Obama, em um comunicado, se referindo à organização jihadista. Tóquio afirmou que analisa o áudio divulgado na internet, segundo o qual outro refém japonês, Kenji Goto, anuncia que Yukawa foi executado. / AFP 

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEstado IslâmicoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.