EUA confirmam envenenamento de americanas em Moscou

A Embaixada dos Estados Unidos na Rússia confirmou, nesta quarta-feira, 7, a informação de que duas mulheres nascidas na ex-União Soviética, que moravam em território americano, foram hospitalizadas em Moscou com a suspeita de terem sido envenenadas.O porta-voz da embaixada identificou a mulher por Marina Kovalevsky e sua filha, Yana, mas não deu mais detalhes. Ele disse que espera que elas voltem logo para casa, mas não estipulou um prazo para que isso aconteça.Citando fontes médicas não identificadas, a agência de notícias Interfax disse que a mulher saiu do hospital pela manhã (horário local) e foi para os Estados Unidos à tarde. A Embaixada não confirmou a informação.As mulheres estavam internadas em hospital em Moscou desde 24 de fevereiro e o médico Nikolai Filatov disse que elas foram envenenadas com tálio, elemento químico parecido com chumbo, normalmente utilizadas por assassinos.A mídia russa divulgou que as mulheres nasceram na ex-União Soviética e emigraram ao Estados Unidos em 1989, mas continuarão visitando a Rússia desde então. As vítimas chegaram em Moscou em fevereiro para tentar um casamento.As autoridades russas estão investigando quando e como as mulheres foram envenenadas, mas a polícia de Moscou não quis comentar o caso.A quantidade de tálio ingerido pelas mulheres não está clara, mas pode levá-las à morte.Autoridades suspeitaram que esta mesma substância tinha sido usada em 2006 para envenenar o ex-agente de segurança russo Alexander Litvinenko, em Londres, mas depois confirmaram que utilizaram o raro isótopo radioativo polônio-210No passado, tálio também foi usado por Saddam Hussein, para envenenar inimigos iraquianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.