REUTERS/Carlos Jasso
REUTERS/Carlos Jasso

EUA confirmam que tropas russas continuam na Venezuela em apoio a Maduro

Em março, governo russo enviou dois aviões com cerca de 100 militares ao país, alegando que eles realizariam trabalhos de manutenção de equipamentos

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2019 | 01h02

WASHINGTON - Apesar de o presidente americano, Donald Trump, ter dito em junho que o Kremlin garantiu a retirada da "maioria" de seus militares da Venezuela, as tropas russas permanecem no país sul-americano. A confirmação foi dada nesta terça-feira, 9, pelo chefe do Comando Sul das Forças Armadas dos Estados Unidos, almirante Craig Faller.

"Há tropas russas e há empreiteiros do setor de defesa da Rússia na Venezuela, prestando apoio ao regime de Maduro", disse Faller durante um pronunciamento ao comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA.

No final de março, o governo russo enviou a Caracas dois aviões com cerca de 100 militares, alegando que eles realizariam trabalhos de manutenção de equipamentos. Washington criticou rapidamente a manobra, que chegou a ser tachada como "ameaça direta" por parte do assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton.

Nesta terça-feira, 9, durante a audiência, Faller reiterou que a Rússia executa na América Latina, "da mesma forma que no resto do mundo", uma campanha de desinformação cujo objetivo é "desorientar" os cidadãos.

Além disso, o almirante advertiu aos senadores sobre uma crescente ingerência russa na América Latina e denunciou que Moscou pretende "semear a discórdia e a falta de confiança" entre os países da região, para promover regimes "autocráticos" como os de Cuba, Venezuela e Nicarágua. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.