, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2010 | 00h00

O chefe do Exército americano no Iraque, general Ray Odierno, afirmou ontem que o recente aumento dos atentados no Iraque não afetará a retirada de 45 mil soldados dos EUA no fim de agosto. Em declarações para o canal de TV Fox News, Odierno disse que o cronograma será mantido a menos que a situação da segurança no país piore de forma drástica. O plano do governo americano é manter 50 mil dos 95 mil soldados que integram a missão no Iraque até o dia 31 de agosto. O restante deve deixar o país até 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.