EUA congelam ativos de supostos terroristas

A administração do presidente dos EUA, George W. Bush, ampliou sua investigação sobre a movimentação financeira de Osama bin Laden e a rede Al-Qaeda, e determinou que os bancos dos EUA congelem os ativos de um grupo com sede no Paquistão e nove indivíduos.A ação do Departamento do Tesouro foi a medida mais recente do governo norte-americano na tentativa de afastar os terroristas de dinheiro, uma das principais diretrizes do plano de ação contra o terrorismo."Hoje bloqueamos as finanças de uma série de terroristas envolvidos no financiamento e na execução de ataques a bomba, sequestros e assassinatos", disse o secretário do Tesouro dos EUA, Paul O´Neill. "Vamos continuar expondo e acabando com esses bandidos onde quer que nós os encontremos", acrescentou.Mais de US$ 104 milhões em ativos financeiros ligados à Al-Qaeda e ao Taleban já foram bloqueados em todo o mundo desde o dia 11 de setembro. Poucas horas depois do anúncio do Tesouro dos EUA, o FBI recebeu informações não confirmadas que terroristas estariam considerando ataques contra os bancos norte-americanos no nordeste do país. Segundo um oficial norte-americano que deu entrevista à Associated Press sob a condição de anonimato, a ameaça terrorista foi feita por membros da rede Al-Qaeda.Autoridades alertaram que não têm informações sobre conspiração ou ameaça a qualquer instituição financeira específica. Contudo, eles emitiram um alerta público para bancos e as forças da lei nos Estados da Virgínia, Maryland, Delaware, Pensilvânia, Nova York, New Jersey, Connecticut, Massachusetts, Rhode Island, Manie, Vermont, New Hampshire e o distrito de Columbia.O FMI disse que a decisão de emitir um alerta foi tomada depois de reunião entre o Departamento de Justiça, Escritório de Segurança Doméstica e o Departamento do Tesouro. O FBI disse que o status de ameaça dos EUA continua no "amarelo", de acordo com o novo sistema de código de cores designado pelo Departamento de Justiça e o Escritório de Segurança Doméstica. O status de ameaça para a região nordeste dos EUA também permaneceu inalterado no "amarelo", disse o FBI. O amarelo é o terceiro na escala de cinco cores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.