Jonathan Ernst/REUTERS
Jonathan Ernst/REUTERS

EUA consideram 'boicote diplomático' às Olimpíadas de Inverno em Pequim, diz Biden

Legisladores republicanos e democratas defendem medida como forma de protesto contra violações de direitos humanos no país asiático

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2021 | 17h17

WASHINGTON - Os Estados Unidos estão considerando um boicote diplomático às Olimpíadas de Pequim para protestar contra violações de direitos humanos na China, confirmou nesta quinta-feira, 18, o presidente americano Joe Biden.

Se a decisão for tomada, os EUA irão romper com a tradição de enviar uma delegação de funcionários de alto escalão à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, que acontecerá em fevereiro do próximo ano. 

Vários legisladores republicanos pedem que Biden anuncie um boicote total aos jogos, denunciando a repressão aos muçulmanos uigures na região chinesa de Xinjiang, descrita como "genocídio" pelo governo dos Estados Unidos. Democratas, como Nancy Pelosi, também defendem a medida.

O jornal Washington Post informou na terça-feira, citando fontes próximas ao assunto, que a Casa Branca deve anunciar essa decisão em breve. O jornal afirma que o presidente Biden deve aprovar a medida, formalmente recomendada por seus assessores, no final de novembro. /REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.