EUA consideram gravação de Bin Laden autêntica

Os serviços secretos dos EUA consideram que a gravação do líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, é autêntica, informou hoje a Casa Branca. Em Twentynine Palms, na Califórnia, onde se encontra o presidente norte-americano, George W. Bush, o porta-voz da Casa Branca, Scott McClellan, declarou que "a comunidade de inteligência acredita que é autêntica". Segundo McClellan, a gravação demonstra que "a liderança da Al Qaeda está em retirada e sob muita pressão", porque os Estados Unidos levam "a luta a seus domínios" e tornam difícil a realização de planos contra os norte-americanos. O porta-voz disse que Bush foi informado da existência da fita no começo da manhã. Na gravação emitida hoje pela emissora de televisão via satélite catariana Al Jazira, Bin Laden pede aos seguidores que se preparem para uma "guerra santa" no Sudão. O líder da Al-Qaeda também afirma que a suspensão de fundos ao Governo palestino formado pelo grupo radical Hamas e a rejeição do Ocidente a este partido demonstram que estes países travam uma "cruzada" contra o mundo muçulmano. Na opinião do líder da Al Qaeda, a negativa ocidental significa que "insistem em continuar com a campanha dos cruzados contra nossa nação; em ocupar nossas terras, em se apoderar de nossas riquezas e em nos converter em escravos".

Agencia Estado,

23 Abril 2006 | 17h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.