Arquivo/AE
Arquivo/AE

EUA consideraram derrubada de Zelaya golpe de Estado, diz Wikileaks

Para embaixador em Tegucigalpa, Congresso, Judiciário e o Exército conspiraram contra o presidente

estadão.com.br,

29 de novembro de 2010 | 16h53

Um documento da embaixada americana em Tegucigalpa, vazado pelo site WikiLeaks, mostra que a representação americana considerou a deposição do presidente Manuel Zelaya um golpe de Estado.

Veja também:

link As principais revelações do vazamento do Wikileaks

link Os líderes mundiais sob o olhar dos diplomatas americanos

link Para EUA, Brasil oculta prisão de terroristas

"A perspectiva da embaixada é que não há dúvida que o Exército, a Corte Suprema e o Congresso conspiraram no dia 28 de junho para o que constitui um golpe inconstitucional e ilegal contra o poder executivo", diz o documento, publicado pelos jornais The New York Times e El País.

O texto, assinado pelo embaixador Hugo Llorens, destaca que independentemente das acusações contra Zelaya, a tomada do poder por Roberto Micheletti foi ilegítima. O diplomata diz ainda que falta consistência às provas apresentadas pela oposição.

Zelaya foi preso pelo Exército enquanto dormia no Palácio presidencial em 28 de junho, antes de um referendo sobre uma reforma na Constituição do país. Ele foi expulso do país e o Congresso declarou vaga a presidência, ocupada posteriormente por Micheletti.

Os EUA a princípio condenaram o golpe, mas defenderam a eleições de Porfírio Lobo, organizadas por Micheletti.

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurasgolpe de EstadoEUAWikileaks

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.