REUTERS/Carlo Allegri
REUTERS/Carlo Allegri

EUA contabilizam prejuízos após nevasca histórica

Nova York e Washington registraram até 76 cm de neve acumulada; ao menos 19 pessoas morreram em vários estados

O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2016 | 10h07

As cidades da costa leste dos Estados Unidos, atingidas por uma forte tempestade de neve, começaram o trabalho de limpeza das ruas neste domingo. O temporal quebrou recordes de acúmulo de neve, paralisou grandes cidades, inclusive Nova York, e deixou pelo menos 19 mortos.

Além de Nova York, outras cidades, como Washington DC, registraram mais de 60 centímetros de neve. Áreas de Nova Jersey, Delaware e Maryland também sofreram com inundações costeiras. O Serviço Nacional de Meteorologia emitiu um aviso para a costa New Jersey válido até o meio-dia deste domingo, e disse que espera "significativa" erosão da praia.

Funcionários de emergência em Nova Jersey relataram graves inundações na tarde de sábado. Uma rua em Margate estava debaixo d'água, enquanto os funcionários em Manasquan divulgaram uma foto em redes sociais mostrando ruas inundadas com água e pedaços de neve. Funcionários de Atlantic City também informaram a existência de inundações.

O governador de New Jersey, Chris Christie, disse que não espera que a maré suba tanto neste domingo, mas pediu cautela aos moradores.

A tempestade causou a morte de pelo menos 19 pessoas, de acordo com a Associated Press, na sua maioria devido a acidentes de carro, hipotermia e remoção de neve. Na manhã de domingo, a maior parte da tempestade havia se deslocado para o oceano Atlântico.

A proibição de viagens em Nova York - que tornou ilegal a presença de qualquer outra pessoa nas estradas, exceto equipes de emergência - foi retirada às 7h de hoje, horário da costa leste dos EUA. A Autoridade Portuária de Nova York e New Jersey reabriu pontes e túneis para Nova York, mas muitas estradas continuam intransitáveis.

 

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou esta manhã que a maioria das linhas de metrô ao ar livre iria retomar o serviço por volta das 9h. Serviços de transporte de massa em Washington e Baltimore permanecem suspensos, e algumas viagens de trem com destino e originadas da costa leste foram canceladas.

Mesmo com o céu azul após a forte nevasca, a tempestade ainda impacta as viagens aéreas. As companhias cancelaram cerca de 11.600 voos que estavam marcados desde sexta-feira até amanhã (25), incluindo mais de 3.400 neste domingo, segundo o site de rastreamento de voos FlightAware. Até agora, cerca de 700 voos marcados para segunda-feira foram cancelados.

Pistas dos aeroportos nacional e internacional de Washington DC permanecem fechadas hoje, forçando as companhias aéreas a desmarcarem voos para a capital dos Estados Unidos até amanhã. A American Airlines havia cancelado todos os voos para os três principais aeroportos de Nova York neste domingo, e estava planejando retomar lentamente as operações na tarde de hoje, na Filadélfia. A United Continental tem previsão de retomar as operações em seu terminal no Aeroporto de Newark também nesta tarde. A Delta Air Lines disse que "antecipa um reinício calibrado" das operações na tarde de domingo nos aeroportos de Nova York, inclusive no seu terminal no Aeroporto Internacional Kennedy.

A partir do meio-dia, empresas de serviços públicos ao longo da costa leste relataram que cerca de 75 mil clientes estavam sem energia. Mais de 47.000 dessas pessoas eram da Carolina do Norte, onde a empresa Duke Energy fazia a limpeza após a tempestade de neve. No entanto, a companhia disse que já tinha restaurado a energia de 400.000 clientes ontem, e espera que a maioria dos clientes estejam com seus problemas resolvidos ainda hoje, com algumas interrupções isoladas remanescentes até amanhã à noite.

No litoral de New Jersey, as companhias de serviços públicos ainda registravam cerca de 23.000 clientes sem energia no final da manhã de domingo.

Algumas partes do país registraram acúmulo de 90 centímetros de neve. O total mais alto foi na parte leste do estado de West Virginia, com mais de 100 centímetros de neve, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia.

A tempestade despejou 68 centímetros de neve no Central Park de New York, a segunda maior acumulação da história, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia. O Aeroporto Internacional de Newark registrou mais de 71 centímetros, e o Aeroporto Internacional John F. Kennedy recebeu 77,5 centímetros de neve, segundo o serviço de meteorologia. Fonte: Dow Jones Newswires. 

Mais conteúdo sobre:
Nevasca Nova York Washington

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.