Gary Cameron/Reuters
Gary Cameron/Reuters

EUA: Controle de armas supera 1º obstáculo no Senado

Com 68 votos a favor e 31 contra, a Casa aprovou a abertura do debate sobre o tema

AE, Agência Estado

11 de abril de 2013 | 13h37

WASHINGTON - Os defensores de um maior controle de armas nos Estados Unidos venceram a primeira batalha no Senado do país para a imposição de restrições ao porte de armas de fogo, rejeitando uma iniciativa dos conservadores para descarrilar o projeto de lei antes mesmo que ele começasse a ser discutido.

Com 68 votos a favor e 31 contra, o Senado dos EUA aprovou a abertura do debate sobre o controle de armas, impulsionado com mais firmeza pelo presidente Barack Obama desde o massacre no qual 20 crianças com idade entre seis e sete anos foram assassinadas por um jovem fortemente armado em dezembro do ano passado em Connecticut.

Os defensores do projeto de lei precisavam de pelo menos 60 votos para colocar o texto em debate no Senado. O projeto de lei pretende impor, em escala nacional, uma verificação mais rigorosa de antecedentes de compradores de armas, endurecer a lei de combate ao tráfico de armas e melhorar a segurança nas escolas.

Os defensores afirmam que a lei tem como objetivo dificultar o acesso de criminosos e pessoas desequilibradas às armas de fogo. Os oponentes alegam que o texto viola a constituição dos EUA.

As informações são da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.