EUA cortam garantia de empréstimo a Israel

O governo dos Estados Unidos retirou US$ 289,5 milhões de uma promessa a Israel de garantias de empréstimos de US$ 9 bilhões, ao longo de três anos. O valor deduzido reflete os gastos de Israel com a construção de um muro para isolar os territórios palestinos. Autoridades palestinas criticaram a redução como ?insuficiente? para deter o muro, cujo traçado invade áreas habitadas por palestinos e que é visto como uma tentativa de ?grilagem? de terras por parte de Israel. O governo israelense alega que a barreira é necessária para evitar novos atentados suicidas.Zalman Shoval, alto conselheiro do primeiro-ministro Ariel Sharon, confirmou que o muro continuará, a despeito do corte nas garantias financeiras americanas. ?Israel está pronto a abrir mão de dinheiro para proteger a vida do povo?, disse.As garantias dos EUA permitiriam a Israel obter empréstimos com taxas mais favoráveis. A dedução aumentará os gastos israelenses com juros em US$ 4 milhões ao ano, disse Ben-Zion Zilberfarb, ex-diretor-geral do Ministério das Finanças israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.