EUA criam agência de espionagem focada no Irã e China

O Pentágono está criando uma nova agência de inteligência focada no Irã e China, que começa a atuar além das zonas de guerra do Iraque e Afeganistão, informou o jornal The New York Times.

Agência Estado

24 de abril de 2012 | 02h13

O jornal disse que o novo serviço Secreto de defesa fará uso de agentes existentes, autoridades e bens, e trabalhará bem próximo à Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês), a fim de acompanhar as ameaças emergentes.

"Isso vai aumentar nossa cobertura em todos os setores", disse o jornal, citando um alto funcionário do Departamento de Defesa dos EUA. Segundo o periódico, esse é um movimento para acentuar a cooperação entre os militares e a CIA.

O novo serviço de inteligência deve elevar em "várias centenas o número de agentes" nos próximos anos, deslocando pessoal e fundos de atribuições existentes, disse o The New York Times, citando o oficial como fonte.

O anúncio da nova agência ocorre uma semana depois de o Pentágono nomear o tenente-general Michael Flynn - que serviu anteriormente o Comando Secreto Conjunto de Operações Especiais - para chefiar a Inteligência Militar. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAPentágono

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.