EUA criticam plano de Chávez e bolsa de Caracas despenca

O governo dos Estados Unidos manifestou grande preocupação com o plano do presidente venezuelano, Hugo Chávez, de nacionalizar empresas privadas, sobretudo nos setores de eletricidade e telecomunicações. As ações da bolsa de valores de Caracas despencaram 18%.Na segunda-feira, Chávez havia manifestado a intenção de nacionalizar setores estratégicos da economia do país. O porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack, disse que a história mostrou que as nacionalizações não trouxeram benefícios aos cidadãos do país no passado.McCormack acrescentou que os Estados Unidos esperam que a Venezuela mantenha suas obrigações contratuais. "Se qualquer companhia americana for afetada, esperaremos que seja imediatamente e justamente recompensada", disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Gordon Johndroe.Queda nas bolsasAs empresas americanas AES, de energia, e Verizon, de telecomunicações, possuem ações em empresas dos dois setores na Venezuela. Na terça-feira, as ações da CANTV, citada como possível alvo de nacionalização do governo, caíram mais de 53% na bolsa de valores de Nova York.A bolsa de valores de Caracas registrou quedas de 18%. As principais empresas atingidas foram as dos setores de energia e telecomunicações.?A notícia (da nacionalização) nos pegou de surpresa, pois tínhamos a impressão que o presidente Chávez apoiava investimentos diretos externos?, disseram analistas do banco Bank of America, em uma nota conjunta. O banco americano Merrill Lynch disse que a situação na Venezuela é "muito séria".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.