EUA criticam processo eleitoral do Irã

Os Estados Unidos denunciaram a repressão pré-eleitoral do governo fundamentalista do Irã sobre candidatos reformistas. Concentrando sua crítica no fechamento de duas publicações reformistas e na desqualificação de milhares de candidatos progressistas, o porta-voz do Departamento de Estado Adam Ereli disse que "há motivos para preocupação".A crítica coincidiu com o boicote reformista ao pleito de hoje, apesar de o presidente do Irã, Mohammad Khatami, um político reformista, ter votado e declarado: "Qualquer que seja o resultado dessas eleições, nós o aceitaremos." O governo americano anunciou sua posição apenas quando chegava o horário do fechamento das urnas no Irã. A declaração critica o governo iraniano por não ter proporcionado uma votação justa e livre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.