Aleppo 24 news via AP
Aleppo 24 news via AP

EUA culpam Rússia por ataque a comboio de ajuda humanitária na Síria

Para assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, ação ‘representa claramente uma enorme tragédia humanitária que deve ser condenada’

O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2016 | 11h12

WASHINGTON - Os EUA consideram a Rússia responsável pelo ataque aéreo contra um comboio de ajuda humanitária que matou cerca de 20 pessoas na Síria, informou na terça-feira o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Ben Rhodes.

"Pode haver apenas dois responsáveis, o regime sírio ou o governo russo", disse Rhodes. "Em qualquer caso, consideramos que o governo russo é o responsável pelos ataques aéreos nesta zona". O atentado ao comboio "representa claramente uma enorme tragédia humanitária que deve ser condenada. É um fato escandaloso".

Ao ser questionado sobre o impacto do ataque no processo diplomático em curso na Síria, Rhodes considerou que ele poderá provocar "sérias dúvidas", mas rejeitou "fechar a porta" ao prosseguimento das negociações de paz.

Antes da declaração do assessor, um funcionário americano já havia informado sobre o posicionamento de Washington, que atribuiu a Moscou o ataque ao comboio humanitário.

Dois aviões SU-24 estavam operando na área onde os caminhões de ajuda foram atacados na segunda-feira, na região de Alepo, segundo o funcionário. "A melhor avaliação que temos é que os russos realizaram o ataque", revelou o funcionário, que pediu para não ser identificado.

A ONU informou que 18 caminhões de um comboio de 31 veículos de ajuda humanitária foram destruídos quando seguiam para o povoado sírio de Orum al-Kubra.

A Rússia reagiu energicamente às acusações de que realizou o ataque e o regime em Damasco também negou qualquer envolvimento com o incidente. Washington e Moscou planejavam coordenar ações contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) na Síria caso a recente trégua resistisse por sete dias, mas esse objetivo está bloqueado diante do fracasso do cessar-fogo.

Terrorismo. O EI afirmou nesta quarta-feira, 21, que derrubou um avião de guerra sírio na região de Al Qalamoun Oriental, ao nordeste de Damasco, por meio de um site de propaganda jihadista. Os extremistas apontaram que previamente o aparelho havia lançado quatro bombardeios contra posições do EI no monte Al Naqib e que no final foi abatido.

O texto acrescenta que o avião caiu em uma zona entre áreas controladas pelo regime sírio e outras nas mãos de facções opositoras.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos confirmou que um aparelho de identidade desconhecida caiu em Al Qalamoun Oriental, e destacou que não se sabe se foi por algum problema técnico ou alvo de um ataque. A ONG indicou que também se desconhece o paradeiro de sua tripulação. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaEstados UnidosRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.