EUA defendem trégua em reunião com aliados do Hamas

John Kerry quer usar pausa de 12 horas como ponte para cessar-fogo de longo prazo

Agência Estado

26 de julho de 2014 | 11h49

O secretário de Estado norte-americano John Kerry se encontrou neste sábado com os dois maiores aliados internacionais do Hamas: a Turquia e o Catar. A reunião é parte do esforço para prolongar o cessar-fogo na Faixa de Gaza.

Kerry intermediou as negociações que levaram a uma trégua de 12 horas entre Israel e o Hamas neste sábado. Agora, ele pretende usar a pausa na violência como uma ponte para um cessar-fogo de longo prazo e uma negociação formal sobre o futuro da Faixa de Gaza.

"Estamos esperançosos de que isso pode acontecer", declarou Kerry neste sábado antes do encontro trilateral com o Ministro de Relações Exteriores da Turquia Ahmet Davutoglu e o diplomata chefe do Catar Khalid bin Mohammad al-Attiyah.

Os aliados mais próximos de Washington no Oriente Médio, particularmente Israel, Arábia Saudita, Egito e Emirados Árabes, estão cautelosos quanto a diplomacia do Catar e da Turquia. Isso porque eles apoiam o Hamas e outros movimentos ligados a Irmandade Muçulmana. Kerry disse, porém, que os dois países tiveram um papel importante na trégua humanitária em Gaza neste sábado.

Davutoglu, cujo relacionamento com Israel azedou nos últimos anos, disse que um cessar-fogo de pelo menos uma semana quase foi conquistado durante as negociações de sexta-feira. O diplomata turco acusou o governo israelense de bloquear o acordo.

Já Attiyah, do Catar, declarou que seu governo permaneceu comprometido com encontrar uma solução de longo prazo para a crise na Faixa de Gaza. Ele afirmou que o bloqueio econômico à Faixa de Gaza teria que ser retirado para que isso ocorresse.

Mais cedo na sexta-feira, os três diplomatas se encontraram com os ministros de Relações Exteriores da França, Itália, Reino Unido e Alemanha para discutir a situação em Gaza. O ministro francês Laurent Fabius pediu que os líderes mundiais negociem um cessar-fogo de longo prazo que atenda as preocupações de Israel com a segurança e também procure acomodar as demandas palestinas de abertura das fronteiras.

O governo de Obama está tentando usar organismos internacionais como a União Europeia, as Nações Unidas e a Liga Árabe para ajudar a reabilitação da economia de Gaza uma vez que um cessar-fogo sustentável esteja em vigor. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelGazaNegociação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.