EUA defendem tribunal civil em caso de terrorismo

O governo norte-americano está comprometido com o julgamento de suspeitos de terrorismo por tribunais civis, assegurou hoje um porta-voz do Departamento de Justiça dos Estados Unidos. De acordo com Matthew Miller, o porta-voz, o réu Ahmed Ghailani, foi condenado ontem por um tribunal federal em Nova York por um crime sério e existe a possibilidade de ele receber sentença de prisão perpétua.

AE, Agência Estado

18 de novembro de 2010 | 20h06

Ghailani foi considerado culpado de conspirar para destruir propriedade do governo norte-americano, mas acabou absolvido de mais de 280 acusações mais graves contra ele apresentadas por seu envolvimento nos atentados contra as embaixadas dos EUA no Quênia e na Tanzânia em 1998. Os ataques provocaram a morte de 224 pessoas.

Miller disse em Washington hoje que o governo do presidente Barack Obama continuará recorrendo a uma combinação de tribunais civis e comissões militares para lidar com os casos de terrorismo. Os planos do secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, de levar Khalid Sheikh Mohammed e outros quatro réus a julgamento por tribunais civis estão paralisados por haver oposição à iniciativa no Congresso. Khalid Sheikh Mohammed é considerado um dos mentores dos atentados de 11 de setembro de 2001 contra os EUA. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismoEUAtribunal civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.