EUA descartam boatos de que Irã pode suspender enriquecimento de urânio

A administração Bush descartou nesta terça-feira os boatos de que o Irã estaria preparado para suspender suas atividades de enriquecimento de urânio durante as negociações sobre seu programa nuclear com os Estados Unidos e a União Européia. A medida tiraria Teerã da mira do Conselho de Segurança da ONU, que tem o caminho aberto para aplicar sanções contra o país."Pelo que sei, não houve nenhuma proposta iraniana", disse o porta-voz do departamento de Estado americano, Tom Casey. A possibilidade de uma suspensão temporária nas atividades de enriquecimento de urânio foi levantada no fim de semana após um encontro entre negociadores iranianos e europeus. Mas, segundo Casey, "não houve mudança na posição iraniana".As declarações do porta-voz apontam que o Irã "não concordou em suspender suas atividades de enriquecimento por qualquer período de tempo".Tendo isso em mente, destacou Casey, a administração Bush continua a discutir com as outras nações do Conselho de Segurança da ONU a possibilidade de aplicar sanções contra o Irã.Ainda segundo Casey, na segunda-feira o subsecretário de Estado americano Nicholas Burns realizou uma conferência telefônica com funcionários de outros governos para discutir o tema. Ele deve continuar os contatos até o final desta semana.O porta-voz destacou também que a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, discutirá a questão das sanções com diplomatas que estarão em Nova York na semana que vem para a Assembléia Geral da ONU.Casey disse que a suspensão do enriquecimento de urânio continua a ser uma pré-condição para o início das negociações sobre um pacote de incentivos oferecidos pelos Estados Unidos e União Européia ao Irã.Entre os incentivos estão uma oferta de assistência dos EUA para o desenvolvimento de tecnologia nuclear para fins civis.Ainda que mantenha as ameaças, as previsões sobre um possível sucesso dos Estados Unidos na adoção de sanções contra o Irã ainda não estão claras. Isso porque a Rússia e a China têm reservas diante da adoção de medidas punitivas. Ambos os países - que possuem poder de veto no Conselho de Segurança da ONU - preferem resolver a questão pela via diplomática.O conselho ameaçou adotar sanções contra o Irã caso o país não suspendesse seu programa de enriquecimento de urânio ou qualquer outra atividade com plutônio ate o dia 31 de agosto. Teerã, no entanto, deixou o prazo passar, argumentando que seu programa nuclear tem finalidades pacíficas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.