EUA descartam mudança em embargo a Cuba

A passagem temporal do poder na ilha de Cuba será apenas ?mais do mesmo?, nas palavras do porta-voz oficial do governo americano. ?O fato de que você tem um autocrata passando o poder a seu irmão não marca o fim de uma autocracia?, expressou Tony Snow, no briefing concedido à imprensa na Casa Branca.Ele acrescentou que o bloqueio econômico dos Estados Unidos à ilha, que já dura quase meio século, permanecerá intocado.?A tentativa de Raúl Castro de se impor ao povo americano é mais do mesmo que já havia feito seu irmão.? Bush O secretário de Comércio americano, Carlos Gutiérrez, disse que os Estados Unidos proverão ?ajuda em termos de alimentação e saúde, recuperação econômica e eleições livres e justas? uma vez que Cuba entre em um processo de transição política, algo que por ora é apenas hipótese.Em discurso feito em um centro de estudos em Washington, no entanto, o cubano radicado americano afirmou que ?os Estados Unidos e seus cidadãos não representam ameaça à segurança ou aos lares do povo cubano?.Segundo ele, Bush ?reconhece que Cuba pertence ao povo cubano e que o destino do país está nas mãos dos cubanos?. Ainda assim, Gutiérrez sublinhou que os Estados Unidos vão ?desencorajar terceiros a obstruir o desejo do povo cubano?, um termo que ele negou ser uma referência indireta ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, o principal aliado de Cuba na região.No mês passado, o governo Bush aprovou um plano de US$ 80 milhões para promover o fim do regime iniciado por Fidel Castro.O presidente do Parlamento cubano, Ricardo Alarcón, considerou ?inaceitável? que Washington estivesse discutindo abertamente o que chamou de formas de derrubar o governo de um país soberano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.