EUA descartam nova onda de crimes de franco-atirador

Investigadores descartaram a teoria de que um "franco-atirador" estaria por trás de três assassinatos recentes no Estado americano de Virgínia Ocidental, afirmando que as vítimas aparentemente tinham ligações com o narcotráfico. Segundo o vice-chefe de polícia do condado de Kanawha, Phil Morris, testes de balística mostraram que duas das vítimas foram mortas com balas de calibre 22. Para a terceira vítima, que foi assassinada quatro dias depois em Charleston, os exames foram inconclusivos, mas, segundo Morris, as características são parecidas. Os três morreram em frente a lojas de conveniência, levantando a possibilidade de uma repetição de uma série de mortes por franco-atirador que aterrorizou os Estados de Virgínia, Maryland e a cidade de Washington DC no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.